Donald Trump continua com a sua política anti-imigrante

Untitled
Embora as pesquisas de benefícios, seus adversários no campo republicano alertou que é hora de propor ideias realistas. | Foto: Reuters

O candidato presidencial dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu seus oponentes republicanos para sua proposta de deportar 11 milhões de imigrantes indocumentados que vivem na nação americana.

Em relação a essa idéia de que tem repetidamente salientado o empresário, seus rivais mostraram contra e advertiu que tal retórica vai entregar a presidência ao democrata Hillary Clinton.

“Somos um país de leis, precisamos de fronteiras, precisamos de um muro. O muro será construído e será bem sucedido”, Trump disse aos oito principais candidatos nas primárias do Partido Republicano em Milwaukee (norte), onde foi realizada na terça-feira a quarta debate republicano.

Embora a comunidade latina nos Estados Unidos manifestou a sua indignação após o magnata descrevem mexicanos que atravessam a fronteira ilegalmente, como estupradores e traficantes de drogas, o requerente popularidade subiu rapidamente e permanece no topo da polls.

Embora as pesquisas de benefícios, seus adversários no campo republicano alertou que é hora de propor ideias realistas.

Veja aqui → EUA:. Trump levantou seu império negociando com grupos mafiosos
“Nós devemos proteger nossas fronteiras (…) Mas se alguém pensa que vamos pegar 11 milhões de pessoas que obedecem a lei e vamos enviá-los para o México, pensar em famílias, pense das crianças “, alertou o governador de Ohio, John Kasich.

Por sua parte, o ex-governador da Flórida Jeb Bush disse que “simplesmente não é possível (…) iria destruir comunidades”.

Estudos indicam que qualquer candidato GOP terá que ter o apoio de, pelo menos, 47 por cento do voto latino para ocupar a Casa Branca.Veja também → Seguidores de Donald Trump cometem mais erros ortográficos
Em contexto
Donald Trump tem sido criticado após o último 16 de junho, durante o anúncio de sua candidatura para as eleições presidenciais em 2016, ele disse: “México envia o seu povo, mas não envia o melhor. (…). Eles estão trazendo drogas, crime, estupradores “.
Ele então disse que iria construir um grande muro ao longo da fronteira sul, o que forçaria o México a pagar. O magnata sublinhou aos jornalistas que oferecem nenhum pedido de desculpas por suas declarações sobre os mexicanos, porque “não há nada que se desculpar.”
Reivindicações enfrentados Trump, o Congresso do México declarou persona non grata por expressões ofensivas contra o povo mexicano que torna a vida em solo americano.