Nicolas Maduro recebeu 13 milhões de ataques psicológicos

Untitled
Ataques psicológicos procuram desacreditar o presidente venezuelano Nicolas Maduro. | Foto: VNA

O presidente venezuelano, Nicolas Maduro recebeu cerca de 13 milhões 700 mil ataques psicológicos ao longo dos últimos dois anos, no âmbito do plano de desestabilização orquestrada pelo governo dos Estados Unidos, disse neste sábado comunicador Mario Silva.

O apresentador do programa La Hojilla, transmitido por canal estatal Venezolana de Television, disse que esses ataques da mídia contra o chefe de Estado “não pode levá-la não, nenhum presidente no mundo recebeu tal campanha de difamação”, disse Silva.

As campanhas para desacreditar o processo bolivariano começou após a perda física do líder da Revolução Bolivariana, Hugo Chávez. De acordo com Silva, entre 1998 e 2013, Chávez também recebeu, pelo menos, nove milhões 450 mil ataques na Internet, “nunca implementadas contra qualquer presidente quantidade”, disse Silva.”O que estamos vendo é que há uma campanha de difamação contra o governo venezuelano, particularmente contra o presidente Nicolas Maduro, que tenha recebido um ataque brutal nos últimos dois anos”, enfatizou o comunicador.

Leia também: Manipulação de Imagem e guerra psicológica na Venezuela (e redes)
Em contexto
No domingo, 22 de fevereiro, o presidente Nicolas Maduro denunciou a existência de uma campanha de ódio e mentiras contra Venezuela pelos meios de comunicação dos Estados Unidos e da oligarquia colombiana.

Em setembro de 2014, Maduro também denunciou uma campanha de terrorismo psicológico dirigido por meios de comunicação internacionais, como a CNN em espanhol, NTN 24 e o Miami Herald, que tentaram desacreditar o sistema de saúde do Estado venezuelano para divulgar a alegada existência de um vírus desconhecido no país.